Canteiro - Pra rosa, pro verde, pra gente florir


Flores, poemas sem palavras. pedem um recanto; eira, jardineira, alegrete que lhes alegre na arquitetura e na alma, calma pra nenhum poder poder podar.


Canteiro de plantas, entre elas, uma pequena rosa amarela. #PraCegoVer

Um canteiro,
recanto,
um canto inteiro pra florir.
Espaço entre o concreto,
nossa inconcretude arquitetônica,
um vão que não restou em vão.
E na arquitetura da alma,
não há de ser diferente;
florescente calma,
fazer-se flor da paz,
preencher o vazio que no vazio jaz.
Que o querer da pressa,
e o apreçado desapresso,
não nos venha poder podar.
Um alegrete que nos alegre,
eira alheia ao mundo lá de fora,
jardineira,
viveiro pra rosa, pro verde;
pra gente viver.
Um canteiro,
recanto,
um canto inteiro pra florir.


Antonio Pereira Apon

Autor do poema: A pedra. O distraído nela tropeçou... Procurando escrever em prosa e verso com a arte da vida.

2 Comentários

Obrigado por sua visita. Agora que terminou a leitura, que tal deixar seu comentário na caixa de comentários abaixo? Sua interação é muito importante. Obrigado.

  1. Boa noite, amigo Antônio!
    Dentro de nós há sempre um canto para um jardim inteiro na alma.
    Tenha uma nova semana abençoada!
    Abraços fraternos

    ResponderExcluir
Postagem Anterior Próxima Postagem

Pular para comentários.


Clique na imagem acima para ler uma postagem sorteada especialmente para você.


Clique para ler: A pedra.            Poema de Antonio Pereira Apon.

Clique na imagem do escultor para ler: A pedra. Nosso poema que tem sido plagiado.




Fale conosco.


No Youtube, se ainda não se inscreveu, inscreva-se em nosso canal Apon na arte do viver., clique no sininho para escolher receber nossas notificações, ser avisado(a) dos vídeos novos. E não esqueça de dar seus likes. Conto com você! Obrigado.


Esse e muitos outros vídeos, você também encontra em nosso canal no Dailymotion.