A cor da gente


Não diz da gente; não implica em tristeza ou alegria, carrega a poesia de se ser quem se é. Sem tolices conjunturais, sem cretinices estruturais...


Mãos trabalhando juntas, diversidade. #PraCegoVer #ParaTodosVerem

A cor da gente,
é a cor e tão somente;
não superioriza nem cabe inferiorizar,
não nos mente nem desmente,
bota ou desbota;
não diz da gente.
Não é sentença, detença,
destino ou sina.
É a cor e tão somente.
Não implica em tristeza ou alegria,
carrega a poesia de se ser quem se é.
Sem as tolices conjunturais,
as cretinices estruturais;
a cor da pele,
é a cor e tão somente.
A epiderme nos veste o corpo,
não nos desnuda a alma;
somos diversos,
cada qual, um verso do poema humano.
Vidas mestiças;
brancas, indígenas, orientais...
Vidas negras;
sim, importam,
exportam,
fazem a humanidade acontecer.
Sem racismo,
sem achismo,
o sectarismo de cor.
Etnia, raça;
cor e tão somente.
Consciência humana,
consciência da gente.


Antonio Pereira Apon

Autor do poema: A pedra. O distraído nela tropeçou... Procurando escrever em prosa e verso com a arte da vida.

8 Comentários

Obrigado por sua visita. Agora que terminou a leitura, que tal deixar seu comentário na caixa de comentários abaixo? Sua interação é muito importante. Obrigado.

  1. Poema maravilhoso que muito gostei de ler. O meu elogio poético
    .
    Feliz fim de semana.
    .
    Poema: “ A Mélica Frase. “
    .

    ResponderExcluir
  2. Boa tarde de sexta, amigo Antônio!
    "Não diz da gente."
    Sem sombra de dúvida...
    É questão muito além da cor externa... é a da alma que vale.
    De podridão, podemos estar tingidos os de todas as cores do universo.
    Um poema visceral, com toda razão de ser.
    Tenha um final de semana abençoado!
    Abraços fraternos de paz

    ResponderExcluir
  3. Caro amigo Antonio,
    Em pleno século 21 ainda precisamos evoluir na questão do racismo, do preconceito da pele, quando será que isso não vai mais existir? Somos todos irmãos, miscigenados, não temos apenas uma cor, o mundo precisa acordar que não há mais espaço para o separatismo por conta da cor da pele! Belo poema.
    Abraços!

    ResponderExcluir
  4. Belo poema, a cor da gente, amo minha cor, orgulho-me dela e valorizo a minha cor e a dos outros!
    Abraços fraternos!

    ResponderExcluir
Postagem Anterior Próxima Postagem

Pular para comentários.



Pular para comentários.


Clique na imagem acima para ler uma postagem sorteada especialmente para você.


Clique para ler: A pedra.            Poema de Antonio Pereira Apon.

Clique na imagem do escultor para ler: A pedra. Nosso poema que tem sido plagiado.




Fale conosco.


Assista nossos vídeos, inscreva-se no Apon na arte do viver.



Se ainda não se inscreveu, inscreva-se em nosso canal, clique no sininho para escolher receber nossas notificações, ser avisado(a) dos vídeos novos. E não esqueça de dar seus likes. Conto com você! Obrigado.