Dia brasileiro da infâmia, 8 de janeiro


... Iludidos e/ou mal intencionados, formaram uma espécie de gado teleguiado, manipulados fantoches, uma turba de terroristas/golpistas sem noção que invadiu e depredou as sedes dos três poderes em Brasília. Num surto de falso patriotismo tóxico e dementado...


Em cena, muitos marionetes; uns com cara de palhaços, outros sem rosto, alguns com cabeça de boi, cavalo e vaca. No fundo, a bandeira do Brasil. Ilustração gerada por inteligência artificial Microsoft. #PraCegoVer #ParaTodosVerem

Ao contrário do que reza a lenda, as teorias da conspiração e tanto fake news, não há problema em se ser de esquerda ou de direita e a salutar alternância de poder não produz nenhum tsunami ou hecatombe. Problemático é o extremismo para qualquer um dos lados, a polarização estúpida, como assistimos num Brasil colocado de ponta-cabeça em nome de uma aventura pseudo-ideológica, falaciosa, irresponsável e inconsequente, que apequenou, ridicularizou o país. Mas a extrema direita tupiniquim, não satisfeita com seu mambembe circo de horrores; negacionista, fundamentalista falso cristã, falso moralista, antivax… Tinha que produzir uma infâmia para chamar de sua, o 8 de janeiro de 2023.


Emprenhados pelos ouvidos entorpecidos por narrativas malsãs, dolosas e daninhas, perseguindo a delirante “ameaça comunista”, que nem sabem bem do que se trata; só ouviram dizer. Iludidos e/ou mal intencionados, formaram uma espécie de gado teleguiado, manipulados fantoches, uma turba de terroristas/golpistas sem noção que invadiu e depredou as sedes dos três poderes em Brasília. Num surto de falso patriotismo tóxico e dementado, armada de ódios e outras sandices, a horda alucinada avançou sobre o patrimônio público; órfã de qualquer razão e bom senso pedia a tutela das forças armadas numa subversão do estado democrático de direito com a volta ao poder do aloprado politiqueiro, defenestrado nas urnas auditáveis, testadas e devidamente aprovadas. Criaturas que confundem: conservador com ignorante, liberdade de expressão com licença para delinquir, religiosidade com fanatismo, mentira com verdade, parlapatão com salvador da pátria...


Um espetáculo dantesco e vergonhoso, a pá de cal num disparatado e trevoso período de nossa história, eivado de discursos rasteiros e práticas beligerantes vis, superado e vencido pela força da democracia e de suas instituições. Contudo, é preciso estar atento. As aves de mal agouro ainda voejam, as ratazanas fisiológicas, as ervas daninhas e todo tipo de parasita oportunista, ainda infesta aqui e ali o tecido do poder, precisam ser combatidos, neutralizados e vencidos. Gente com arroubos tiranos, fascistas… precisa ser banida da vida pública através do devido processo legal e das urnas. Xô coisa ruim! Vade-retro!

Antonio Pereira Apon

Autor do poema: A pedra. O distraído nela tropeçou... Procurando escrever em prosa e verso com a arte da vida.

2 Comentários

Obrigado por sua visita. Agora que terminou a leitura, que tal deixar seu comentário na caixa de comentários abaixo? Sua interação é muito importante. Obrigado.

  1. Respostas
    1. Precisamos lembrar de não esquecer o mal que gente iludida e ou mal intencionada, manipulada por criaturas sombrias e deletérias pode fazer.

      Um abraço. Tudo de bom.
      APON NA ARTE DA VIDA 💗 Textos para sentir e pensar & Nossos Vídeos no Youtube.

      Excluir
Postagem Anterior Próxima Postagem

Pular para comentários.



Pular para comentários.


Clique na imagem acima para ler uma postagem sorteada especialmente para você.


Clique para ler: A pedra.            Poema de Antonio Pereira Apon.

Clique na imagem do escultor para ler: A pedra. Nosso poema que tem sido plagiado.




Fale conosco.


Assista nossos vídeos, inscreva-se no Apon na arte do viver.



Se ainda não se inscreveu, inscreva-se em nosso canal, clique no sininho para escolher receber nossas notificações, ser avisado(a) dos vídeos novos. E não esqueça de dar seus likes. Conto com você! Obrigado.