Somos borboletas (Com vídeo)


Borboleta abstrata fractal de luzes. #PraCegoVer

O corpo físico é o casulo onde o espírito realiza sua metamorfose e alça voo à espiritualidade.


Esse casulo, sendo matéria, é instável, provisório, passageiro. Infinito é o espírito em seu volitar evolutivo.


Assim, inexiste fim, quando entendemos que a morte é sempre o recomeço, a libertação da crisálida. A matéria retorna a matéria, enquanto a essência busca os altiplanos, levando consigo a bagagem amealhada em seu coração e sua mente.


O desencarne não é um adeus, apenas um até breve! Que são alguns anos terrestres? Senão meras gotas de tempo no mar da eternidade? Mais cedo ou mais tarde, encontros e reencontros reunirão todos os afins.


Somos todos, "borboletas" em nossos "casulos". Certamente, em alguns momentos sentiremos saudades, em outros, saudades deixaremos. Mas, voar é preciso, evoluir é preciso, como preciso é ferir a pedra, para a escultura surgir; como é preciso triturar o trigo para o pão existir. Não dê guarida à tristeza, não alimente o desespero. Em outra dimensão, alguém quer sorrir com seu sorriso, reviver em suas boas lembranças, sonhar em seus sonhos e colher as flores perfumosas de suas tranquilas orações.


Lembre-se: A vida não termina no túmulo. Somos espíritos imortais.



Postado aqui em janeiro de 2009.


Antonio Pereira Apon.

Siga-nos

Dê uma espiadinha em nossas postagens mais recentes:


Antonio Pereira Apon

Autor do poema: A pedra. O distraído nela tropeçou... Procurando escrever em prosa e verso com a arte da vida.

15 Comentários

Obrigado por sua visita. Agora que terminou a leitura, que tal deixar seu comentário na caixa de comentários abaixo? Sua interação é muito importante. Obrigado.

  1. Bom dia querido amigo,

    Um texto lindo, além de consolador. Que bem enorme faz ao leitor. Muito Obrigada.


    Beijos com carinho e ótimo dia.

    ResponderExcluir
  2. Meu tão querido amigo Antonio, amei seu texto...a mais pura pura verdade, creio exatamente nisso. Façamos o nosso melhor aqui, para um dia seguirmos livres e felizes pela eternidade.
    Tenha um feliz dia...beijos
    Valéria

    ResponderExcluir
  3. Olá Valéria!

    A "morte" é o despir-se do corpo e vestir-se de infinito, voar para além dos horizontes.

    Feliz dia para você também.

    Um abração.

    ResponderExcluir
  4. O que comentar deste poster?!!
    Ele é perfeito...acredito em cada palavra!!!

    Lindo,lindo...!!!Parabéns!
    Paz e Luz!!

    ResponderExcluir
  5. A vida é um sopro, realmente, mas não termina aqui. Isso não nos dá o direito de passar por ela sem consciência e sem observância de valores. Temos todos missões que precisam ser cumpridas, antes de alçarmos esse voo definitivo.

    Abraços

    ResponderExcluir
  6. Olá Antonio!
    Que belo texto, sábias e verdadeiras palavras!
    Obrigada pela visita e por seguir meu blog.
    Seja bem vindo sempre.
    Parabéns pelo seu espaço, lindo!
    Grande beijo.

    ResponderExcluir
  7. Olá António,

    Bonita figura de estilo!
    Texto de uma beleza espiritual, doce e serena.
    Somos borboletas. Que metáfora linda!
    Mas temos uma alma, que pulsa, que ama, que chora, mas que é eterna.
    Bom feriado.

    Abraços de luz.

    ResponderExcluir
  8. Olá Amigo Antonio, passando por aqui. Belo texto e imagem! Perfeita reflexção. Nos leva a alçar voo Além para o infinito! Desculpe a falta! Estou tentando colocar as visitas em dia. Muito bom estar aqui... Grande abraço!

    ResponderExcluir
  9. Nossa,belo texto,eu acho mesmo é que morrer parece distante pra alguns e que só percebem a morte quando perdem um ente querido,mas na verdade a gente nasce e morre todo dia de maneira diferente e incontrolável,e isso é bom sentir porque a cada dia tudo pode se transformar,renovar,só o que não se vai é a nossa essência.
    Abraço e uma boa quinta-feira pra vc!=)

    ResponderExcluir
  10. Olá, te vi lá no meu blog e vim aqui te conhecer.....
    Poesia é sempre um alimento pra alma... essencial.
    Beijos

    ResponderExcluir
  11. Mas, voar é preciso, evoluir é preciso, como preciso é ferir a pedra, para a escultura surgir; como é preciso triturar o trigo para o pão existir.

    Boa noite de domingo, amigo Antônio!
    Saudade sim, tristeza não!.
    Tenha uma nova semana abençoada!
    Abraços fraternos de paz e bem

    ResponderExcluir

  12. Estimado António.
    Gostei muito da sua dissertação e da respetiva elação ética.
    O vídeo está muito belo e bem conseguido.
    Parabéns, amigo
    Saúde e dias bons. Abraço.
    ~~~~~~~~~~

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Seguimos buscando uma maior qualidade a cada postagem, aprimorar todos os detalhes para lhes levar o melhor. Obrigado por suas relevantes interações.

      Um abraço. Tudo de bom.
      APON NA ARTE DO VIVER 💗 Textos para sentir e pensar & Nossos Vídeos no Youtube.

      Excluir
  13. 2011, ano em que nos começámos a comentar. E já lá vão 12 anos.
    Acho que em 2011, eu pensava de outro jeito, mas depois e por influência do Pedro, alterei minha forma de pensar.
    Todavia, tenho um amigo, um "psicólogo" que tenta que eu entenda a verdade dos conceitos. Corpo é finito, espírito é imortal. Verdade, professor?

    Um beijão.

    ResponderExcluir
Postagem Anterior Próxima Postagem

Pular para comentários.


Clique na imagem acima para ler uma postagem sorteada especialmente para você.


Clique para ler: A pedra.            Poema de Antonio Pereira Apon.

Clique na imagem do escultor para ler: A pedra. Nosso poema que tem sido plagiado.




Fale conosco.


No Youtube, se ainda não se inscreveu, inscreva-se em nosso canal Apon na arte do viver., clique no sininho para escolher receber nossas notificações, ser avisado(a) dos vídeos novos. E não esqueça de dar seus likes. Conto com você! Obrigado.


Esse e muitos outros vídeos, você também encontra em nosso canal no Dailymotion.