Reencarnação. O que te parece? - A arte da vida. Apon HP



Obrigado por sua visita. Boa leitura!




Clique na animação abaixo, para exibir/ocultar os posts mais recentes e mais opções do Site.


Clique para exibir/ocultar os posts mais recentes e mais opções do Site.

terça-feira, 17 de julho de 2018

 

                    Reencarnação. O que te parece?              

     

... nossas escolhas tem consequências com as quais temos que arcar; corrigir nossos enganos, consertar nossos erros. Nada nem ninguém pode responder por nós ante o tribunal da própria consciência. Não existe “castigo de Deus”, penas eternas e outras tantas invencionices...


Antonio Pereira Apon.


Mãos orando.


Uma amiga me escreveu e questionou:

“Muitas vezes, me pergunto, qual o motivo porque uma criança de dois anos, que, enfim não cometeu ainda pecados é vítima de câncer, por exemplo. Já fiz essa pergunta a um teólogo e a um padre e eles me responderam que são desígnios de Deus e que satanás também comanda esse mundo. O que te parece”?


Sem a reencarnação, não temos senão esse tipo de resposta simplista, escapista e que em suma, tenta comodamente terceirizar nossas culpas, colocando o ser humano a mercê de outras vontades, dócil joguete do destino, da sorte, do acaso...


Quando nascemos, ganhamos um novo corpo. Porém, nosso espírito, já preexistente, traz consigo a bagagem do bem e do mal, praticados em outras encarnações. Assim, o corpo físico, reflete as necessidades, as carências, as expiações e provas que permitem à alma resgatar seu passado e escrever um futuro melhor. Dessa forma, vamos evoluindo de encarnação em encarnação.


Fora disso, a bondade e justiça do Criador são postas por terra. O Pai nos deu o livre arbítrio, para escolhermos o caminho a trilhar. Contudo, nossas escolhas tem consequências com as quais temos que arcar; corrigir nossos enganos, consertar nossos erros. Nada nem ninguém pode responder por nós ante o tribunal da própria consciência. Não existe “castigo de Deus”, penas eternas e outras tantas invencionices de algumas religiões, para segurar seus fieis pelo medo e promessas vazias de remissão dos pecados, dogmas e outros artifícios para uma pretensa “salvação”.


Enquanto não buscamos de fato nos melhorar, somos assaltados pelas vicissitudes, doenças e tantos dissabores que povoam nosso cotidiano. Não existe solução mágica, não dá para apelar para milagres nem apostar nas crendices e rituais. Se na vida atual, não se encontra a causa para um problema, com certeza, essa está numa vida pretérita.


Não quero de forma alguma, ofender a convicção religiosa de ninguém. Mas não tenho outra forma de responder ao questionamento: “O que te parece”?


Mão de Deus tocando a do homem gerando luz.



Postado aqui em 23 de janeiro de 2016.



   
 
 

6 comentários:

  1. Amigo Antonio, a mim me parece exatamente como aqui descreves seu pensar e crer, também creio na vida eterna e consequentemente na reencarnação, pois uma vida só não é suficiente para aprender, para desfrutar, para sanar erros que cometemos ao longo da vida.
    Inatismo, reencarnação, tudo isso eu acredito!
    Abraços meu amigo professor e poeta, amei ler aqui!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já passou da hora de pararmos de por tudo na conta de Deus, do Diabo, do azar, do destino... Somos responsáveis por nossas escolhas e temos que arcar com os consequentes ônus e bônus delas. A reencarnação é o mecanismo natural da evolução. Uns evoluem mais rapidamente e com menos dissabores. Outros, tardam mais e mais sofrem; mas todos evoluem. Sem essa de penas e gozos eternos, arrependimentos e perdões artificiais, dogmáticos e ritualísticos. Não dá para terceirizar a "salvação".

      Um abração e uma boa semana.

      Excluir
  2. Olá, Apon, como vai?
    Esse é um assunto muito interessante para conversas e meditações... católica por formação seria contra os dogmas dessa linha religiosa, por outro lado concordo contigo... a reencarnação explicaria fardos que muitas vezes a pessoa carrega sem justificativa aparente. A novela Além do tempo abordou muito bem o tema. O importante, independente da crença, é sempre buscar o caminho do amor, perdão, compreensão e bondade. Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza. O importante é buscar sempre fazer o bem. Tudo na paz de Deus.

      Um abração e uma boa semana.

      Excluir
  3. A "religião do medo, castradora" foi a que fui conduzida na minha formação! Felizmente, sei ler e interpretar bons textos e isso me trouxe a compreensão sobre a reencarnação, na qual acredito sim, pois não haveria razão de tanta lapidação para apenas "ser enterrada"... Nosso "céu ou inferno" o fazemos aqui e agora. Depende das nossas ações. Esse é um tema em que respeito a divergência de opiniões, mas sinto-me liberta por ter acesso a essa compreensão, livre de dogmas impostos.
    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Jesus disse que seremos conhecidos por nossas obras. Fazer o bem é a grande senha para a evolução.

      Um abração e uma boa semana.

      Excluir

Obrigado por sua visita. Aqui você pode deixar seu comentário. Esse espaço é feito para você. Volte sempre!

Antonio Pereira Apon.



Nosso conteúdo é de direito reservado. Sua reprodução pode ser permitida, desde que seja dado crédito ao autor original: Antonio Pereira Apon. E inclua o link para o site: WWW.aponarte.com.br
É expressamente proibido o uso comercial e qualquer alteração, sem nossa prévia autorização.
Plágio é crime previsto no artigo 184 do Código Penal.
- Lei n° 9.610-98 sobre os Direitos Autorais
.


Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Unported License.

Fale conosco.



Clique na imagem para ler um texto sorteado pelo sistema:
Textos para todos os dias. Curta a arte da vida!




Fique mais um pouquinho. Leia também...



Livros e vídeos:


Capa da segunda edição de : Essência.

>

Esse livro propõe uma incursão na alma humana, garimpando sentimentos e emoções, revelando-os em versos que retratam o homem moderno em sua incansável procura de si mesmo; seu contexto social, político e cultural em um mundo em transição.


Depois de 14 anos, atendendo a pedidos, estamos republicando Essência. Nessa segunda edição, incluímos o subtítulo: O livro do poema: A pedra. O distraído nela tropeçou... Numa referência ao nosso poema integrante dessa publicação, que, absurdamente, tem aparecido na internet com o nome de autores famosos: Fernando Pessoa, Renato Russo, Chaplin... Ou plagiadores. No endereço: (http://aponarte.com.br/apedra), o amigo leitor encontra todos os esclarecimentos, inclusive algumas das formas de como o plágio tem se apresentado.

Capa da segunda edição da : Coleção
                            Graziela.

>

Aqui, pais e professores encontram uma forma prazerosa e divertida, de abordar temas como: Cidadania, comportamento, respeito ao outro e à natureza... Em sete contos, compondo um jogo de arte e educação, onde lúdica e naturalmente aos pequeninos são apresentados conceitos de: Ecologia, solidariedade, diversidade, coletividade, tempo, responsabilidade, motivação, interatividade, participação...


Textos que parecem se renovar a cada dia, conservando impressionante atualidade e sintonia. Espero que gostem.

Capa de Um dedo de prosa e poesia. A arte da
                vida.

São 125 páginas com 89 títulos em verso e prosa de Literatura Nacional, num livro prefaciado pelo professor, escritor, poeta e trovador Orlando Carvalho. Crônicas, mensagens, poesias... amor, humor, reflexão, arte, cotidiano, atualidades, auto-ajuda, espiritualidade...