Boato. Curtir, compartilhar, seguir ou deletar? - A arte da vida. Apon HP



Obrigado por sua visita. Boa leitura!




Para exibir/ocultar os posts mais recentes e mais opções do Site Clique aqui.

quarta-feira, 8 de agosto de 2018

 

                    Boato. Curtir, compartilhar, seguir ou deletar?              

     

... Sou figurinha fácil no Whatsapp, Facebook, Google+... Não tem um dia que eu não arranje um “toque de recolher” em uma comunidade qualquer. Vivo entre os “trending topics”, viralizo nos maiores memes, derrubo reputações, fabrico celebridades...


Antonio Pereira Apon.


Tecla delete.




Madrugada adentro e Uberlândio, zapeando pelas redes sociais. Ia do smartphone para o tablet, do tablet para o computador... De repente: De uma de suas telas, salta um rosto sinistro meio punk, meio gótico... Espécie de holograma surreal, 3D ultra HD e outras paradas tecnofágicas.


- Quem, o que é você? ...


- Não me reconhece?! Eu sou o Boato!


- Se sois boato, então não existes!


- Não existo?! Faça-me rir! Sou figurinha fácil no Whatsapp, Facebook, Google+... Não tem um dia que eu não arranje um “toque de recolher” em uma comunidade qualquer. Vivo entre os “trending topics”, viralizo nos maiores memes, derrubo reputações, fabrico celebridades...


- O que você quer comigo? Me erra! ...


- É assim que você trata um velho amigo que lhe garantiu tantas curtidas e compartilhamentos? Graças a mim, você tem tantos “amigos”, esse rebanho de seguidores tão fúteis, vazios e fofoqueiros quanto você. Vocês me usam, abusam e querem depois descartar, jogar fora. Mas eu faço parte da essência, do caráter de cada um de vocês!


- Vaza! ...


- Nos divertimos tanto, nossas mentiras ficaram famosas, algumas, viraram “clássicos” da internet: Lembra das córneas que sobravam no Hospital de Olhos de Sorocaba? Até hoje circula! A poesia do Apon, A pedra, que inventamos versões com nomes de famosos e falsos autores? A pesquisa na porta do cinema? O carro roubado com o bebê dentro? O feijão mortal? ... Ainda tem gente que acredita! Quanta criatividade nossa, quanta babaquice deles! Correntes, pirâmides, golpes mil! A boataria é o que há!


Uberlândio começou a olhar para o canto do teclado e foi aproximando o dedo da tecla...


- Não! Não faça isso! Não delete nossa fértil parceria! ...


Deletou e foi dormir.


Não curta, compartilhe ou siga boatos nem boateiros. Por uma internet melhor, útil, salutar, construtiva e inteligente. Use a tecla mágica: Delete!



Postado aqui em 15 de jun de 2016.



   
 
 

2 comentários:

  1. Olá, António...

    Então, o Blogger também tem manias, caprichos, apetites... E não houve qualquer explicação ou pedido de desculpas da parte dele...
    O que é o Whatsapp...

    Sua postagem está muito inteligente e bem atual. Toda a gente vive obcecada pela net, smartphones etc. e até parece que comandam a vida das pessoas.

    Estou completamente de acordo com voce. Queremos uma Internet limpa e verdadeira.

    Um abraço e bom final de semana.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bloquearam por uma suposta "violação de termos de serviço por spam". Após quatro contestações e alguns posts nos fóruns de ajuda, dignaram-se a desbloquear. Sem maiores explicações ou algo que o valha. Simplesmente assim.

      Mas, vamos em frente: Whatsapp é um aplicativo de troca de mensagens, presente em 99% dos smartphones do Brasil.

      O abuso na internet parece uma loucura, insana inversão de valores. Parece que a rede usa as pessoas, invés de as pessoas usarem a rede.

      Pois é, precisamos qualificar, ressignificar o conteúdo, varrer para longe esse lixão, entulho comportamental e cultural que infesta a web.

      Bom fim de semana para ti também. E já tem post novo: http://www.aponarte.com.br/2016/06/tempo-onde-esta-o-futuro.html

      Um abração.

      Excluir

Obrigado por sua visita. Aqui você pode deixar seu comentário. Esse espaço é feito para você. Volte sempre!

Antonio Pereira Apon.

Fale conosco:






Nosso conteúdo é de direito reservado. Sua reprodução pode ser permitida, desde que seja dado crédito ao autor original: Antonio Pereira Apon. E inclua o link para o site: WWW.aponarte.com.br
É expressamente proibido o uso comercial e qualquer alteração, sem nossa prévia autorização.
Plágio é crime previsto no artigo 184 do Código Penal.
- Lei n° 9.610-98 sobre os Direitos Autorais
.


Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Unported License.

Fale conosco.



Clique na imagem para ler um texto sorteado pelo sistema:
Textos para todos os dias. Curta a arte da vida!




Fique mais um pouquinho. Leia também...



Livros e vídeos:


Capa da segunda edição de : Essência.

>

Esse livro propõe uma incursão na alma humana, garimpando sentimentos e emoções, revelando-os em versos que retratam o homem moderno em sua incansável procura de si mesmo; seu contexto social, político e cultural em um mundo em transição.


Depois de 14 anos, atendendo a pedidos, estamos republicando Essência. Nessa segunda edição, incluímos o subtítulo: O livro do poema: A pedra. O distraído nela tropeçou... Numa referência ao nosso poema integrante dessa publicação, que, absurdamente, tem aparecido na internet com o nome de autores famosos: Fernando Pessoa, Renato Russo, Chaplin... Ou plagiadores. No endereço: (http://aponarte.com.br/apedra), o amigo leitor encontra todos os esclarecimentos, inclusive algumas das formas de como o plágio tem se apresentado.

Capa da segunda edição da : Coleção
                            Graziela.

>

Aqui, pais e professores encontram uma forma prazerosa e divertida, de abordar temas como: Cidadania, comportamento, respeito ao outro e à natureza... Em sete contos, compondo um jogo de arte e educação, onde lúdica e naturalmente aos pequeninos são apresentados conceitos de: Ecologia, solidariedade, diversidade, coletividade, tempo, responsabilidade, motivação, interatividade, participação...


Textos que parecem se renovar a cada dia, conservando impressionante atualidade e sintonia. Espero que gostem.

Capa de Um dedo de prosa e poesia. A arte da
                vida.

São 125 páginas com 89 títulos em verso e prosa de Literatura Nacional, num livro prefaciado pelo professor, escritor, poeta e trovador Orlando Carvalho. Crônicas, mensagens, poesias... amor, humor, reflexão, arte, cotidiano, atualidades, auto-ajuda, espiritualidade...