Um até... - A arte da vida. Apon HP

Bom estar com você aqui no A ARTE DA VIDA. APON HP!


Dê um toque. Leia um escrito especialmente sorteado para você. Clique na figura abaixo.
Clique aqui, para ler um texto aleatoriamente selecionado pelo sistema.

Um até...

Publicado em terça-feira, 18 de julho de 2017



... partilhamos um caminho, mas, a cada um seu caminhar. Quem se adianta nessa jornada, se deixa saudades, é porque conseguiu passear pelos corações, criando laços de bem-querer...


Antonio Pereira Apon.


Mulher com sombrinha, pintura de Claude Monet.


Quem disse que a morte é um fim? A vida segue numa outra dimensão. Recomeço, novo começo; navegar no espaço-tempo para aportar no infinito, onde o eterno se explicita em encontros e reencontros. Para trás, os instantes doridos, os momentos sofridos, sob as pegadas dos passos deixados nessa Terra; as lágrimas que entristeceram a alegria. Em frente, colher nos braços os abraços furtados, adiados. Recolher a floração do bem semeado, das palavras benditas, das emanações de amor. E ali mais em frente, ver a felicidade ressorrir, ressurgir qual uma Fênix sobre as cinzas de todas as dores passadas.


Somos todos passageiros nessa viagem sem fim, partilhamos um caminho, mas, a cada um seu caminhar. Quem se adianta nessa jornada, se deixa saudades, é porque conseguiu passear pelos corações, criando laços de bem-querer, lembranças vividamente impressas na retina da memória.


Assim seguimos no tempo de Deus e de cada um de nós. Não, não há adeus! Um até… Até algum dia… Até sempre!


Homenagem a nossa saudosa amiga blogueira Leninha.


Eis o último comentário de leninha, postado aqui.


Helena Medeiros Helenadomingo, 9 de julho de 2017 18:43:00 BRT

Meu querido, eu não poderia entrar numa nova etapa de vida sem vir aqui te agradecer por este tempo bonito, apesar de não tão extenso, em que tive a honra de receber tuas visitas e em que pude também apreciar a tua esplêndida escrita através deste espaço.


O tempo agora me é curtinho... Por isso quero desejar que a tua vida seja sempre abençoada, iluminada, e com infinitas possibilidades de continuar com as tuas criações tão preciosas.


Que tudo te sorria! Que tudo te seja pleno! E que nos teus sorrisos tu possas criar estrelas que se transformarão em versos, em prosa, e que no decorrer das tuas horas o Pai possa colocar as benesses que o teu coração merece.


Tenho um respeito enorme por ti!


Meu carinho num afetuoso abraço,
Leninha



8 comentários:

  1. Antonio, como eu gostei da sua mensagem para a nossa Leninha, ficou muito bonita e expressiva.
    Apesar de não pensar muito no 'após morte', e confesso que seja por medo, eu acredito que existe uma outra dimensão para onde somos encaminhados. Não gosto de crer que esta vida terrena seja um princípio, meio e fim, que nada existe depois que falecemos, mas como não me aprofundo muito no tema não posso explicitar mais. Sei que gostei muito do que você falou, tocou-me o coração, principalmente porque se refere a 'minha menina' e tudo isto me emociona e me enternece. Por isso, Antonio, agradeço de coração pela sua homenagem, e com certeza a Leninha também se emocionou, pois era uma pessoa muito sensível e ficava imensamente grata com tudo que faziam por ela. Ela dava valor a tudo, a qualquer palavrinha de afeto, qualquer gesto de carinho, ela ficava enternecida.
    Como você bem disse, " não há adeus! Um até… Até algum dia… Até sempre!"
    Agradeço de coração por suas palavras e deixo um abraço cheio de afeto pra você.
    Verinha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. De fato, essa nossa vida não é o princípio nem o fim, não é o meio, é um meio! Caminho de nossa evolução rumo ao infinito. Somos espíritos, seres imateriais, momentaneamente vivendo uma experiência material. O medo é fruto da apercepção dos nossos sentidos terrenos, incapazes de ver além do horizonte tempo-espacial. Mas, com certeza, a vida segue e seguiremos todos para além daqui. Um dia reencontraremos nossa amiga e outras tantas pessoas queridas que nos precederam na grande viagem, não da morte, mas, da vida.

      Um grande abraço para ti também, Vera.

      Segue essa reportagem interessante sobre vida após a morte:

      https://www.youtube.com/watch?v=tjNd44u_sNA

      Excluir
  2. Oi, António!

    Não sei quem disse que a morte era o fim ou não era, mas o que conta pra mim são os momentos vividos em vida com quem parte, na realidade ou no virtual.

    Gostei muito do texto/homenagem dedicado à Leninha e tão bem escrito por ti. De facto, estamos na terra de passagem, mas para onde vamos e se vamos para algum lugar "especial", com nome ou não, não sei.
    Estou a cada dia mais cética.

    A pintura de Monet está graciosa, de fino porte e creio que tem muito a ver com nossa amiga em comum.

    Um grande abraço para ti e estamos juntos nessa amizade.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Certamente, o que conta é o que fica de quem não ficou: Gestos, palavras lembranças... Não importa pensar no fim do caminho, mas, em como caminhamos, isso sim, traçará o nosso destino. é no agora, no hoje que semeamos o nosso amanhã; fé em Deus, em nós e na vida.

      O ceticismo é efeito colateral da falta de respostas de religiões que insistem em dogmas e rituais, sem encarar de frente a realidade espiritual.

      Com absoluta certeza. A vida segue, aqui e para além da morte.

      Um abraço.

      Coloquei na resposta para Vera uma reportagem sobre a vida depois da morte. Aqui deixo um pequeno vídeo ilustrativo:

      https://www.youtube.com/watch?v=Qs5Ng29Ax0Q

      Excluir
  3. Querido amigo Antonio, linda a homenagem à sua amiga Leninha, sei que não é fácil a separação, mesmo sendo amizade virtual, pois a alma é a que se comunica, sendo assim, a alma é imortal, vai para o mundo espiritual e lá volta à sua forma original, a de espírito!
    Imortalidade, eis a que também creio, pois não teria sentido a vida por aqui com tantas emoções envolvidas!
    Vamos indo, amando, sentindo, percebendo, sendo eternos, pois "lá" é igual aqui, tudo continua até quando decidimos voltar, digo que isso é como um "revezar" um pouco por aqui e outro tanto por "la"!
    Abraços apertados!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A resposta a esse comentário virou postagem em http://www.aponarte.com.br/2017/07/amigos-nao-tao-virtuais.html

      Obrigado.

      Excluir
  4. Ola amigo, perfeita suas reflexões sobre a morte. Eu ainda que às vezes me assombro com certas mortes compartilho desta concepção de vida e morte. Uma perfeita homenagem á nossa Leninha, que teve este carinho este cuidado de nos preparar, embora não imaginasse o que ela queria dizer. Que ela onde estiver sinta nosso carinho.
    Um abraço amigo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza ela sente e sentirá as positividades enviadas por seus amigos.

      Um abraço. Bom dia do amigo.

      Excluir

Obrigado por sua visita. Aqui você pode deixar seu comentário. Esse espaço é feito para você. Volte sempre!

Antonio Pereira Apon.





Rosa da amizade/Afeto enviada pela CÉU.


Rosa da amizade/Afeto enviada pela CÉU.


Troféu rosa da amizade/Afeto.


Rosa da amizade/Afeto do Poetizando e encantando da Professora Lourdes..



Follow
View My Stats

DMCA.com Protection Status


@INSTAGRAM