Desolação. Saudades de Suzano. E agora Brasil?              

em sexta-feira, 15 de março de 2019



... A juventude ainda sonhava sua breve eternidade quando a dor chegou sorrateira, quando a morte forasteira, fez por lição a crueldade. Doente sociedade, parindo dementes...


Antonio Pereira Apon.


Uma jovem vestindo traje fino, sentada de costas com o zíper entreaberto, com ar de desolação e saudade.


No blog Filosofando na vida, a professora Lourdes nos convida a escrever uma frase, verso, poesia, pensamento, mensagem… Sobre uma imagem postada a cada fim de semana. Acima, a imagem sugerida. Abaixo, a minha 73ª participação nessa “brincadeira” intitulada: Poetizando e encantando.


Selo de participação no Poetizando e encantando.

Saudades de um tempo inocente,

em que a vida fazia festa, sorria e dançava;

sem sombras, sem assombros,

sem terror a ensombrar.

Escola era caminho,

esperança, era carinho!

A juventude ainda sonhava sua breve eternidade

quando a dor chegou sorrateira,

quando a morte forasteira,

fez por lição a crueldade.

Doente sociedade,

parindo dementes,

desparindo a sorte.

Despindo as ilusões,

desnudando a irrealidade, tão desendereçada de Deus.

Resta um silêncio que grita,

um pranto que não consegue calar.

Resta-me gritar,

Parafraseando Drummond:


E AGORA, BRASIL?

A FESTA ACABOU,

A LUZ APAGOU,

O POVO SUMIU,

A NOITE ESFRIOU,

E AGORA, BRASIL?

E AGORA, VOCÊ?

VOCÊ QUE É SEM NOME,

QUE ZOMBA DE TUDO,

VOCÊ QUE NÃO FAZ MAIS VERSOS,

QUE DESAMA, NÃO PROTESTA?

E AGORA, BRASIL?


ESTÁ SEM POESIA,

ESTÁ SEM DISCURSO,

ESTÁ SEM CARINHO,

JÁ NÃO PODE DIZER,

JÁ NÃO PODE CALAR,

FINGIR JÁ NÃO PODE,

A NOITE ESFRIOU,

O DIA NÃO VEIO,

O MILAGRE NÃO VEIO,

O RISO NÃO VEIO,

NÃO VEIO A UTOPIA

E TUDO ACABOU

E TUDO FUGIU

E TUDO MOFOU,

E AGORA, BRASIL?


SEU TELHADO DE VIDRO,

SUA INCOERÊNCIA,

SEU ÓDIO — E AGORA?


SEM A CHAVE NA MÃO

QUER ARROMBAR A PORTA,

NÃO EXISTE PORTA...


VOCÊ MARCHA, BRASIL!

BRASIL, PARA ONDE?





Nossas participações no "Poetizando e encantando":

Para exibir/ocultar Clique para exibir/ocultar nossos posts no poetizando e encantando.

26 comentários:

  1. Profunda e belíssima em intensidade e verdade tua participação! abraços, chica

    ResponderExcluir
  2. Olá amigo Antônio! Nas entrelinhas da sua bela poesia, um grito de socorro, uma saudosa lembrança de dias melhores. Essa jovem é o retrato de uma desilusão que massacra o coração de muitos!
    O telhado de vidro quebrou.
    amei a música e a interpretação, parabéns e que Deus nos ajudo sempre.

    Parabéns pela majestosa participação, seja sempre bem vindo. Abraços, fica na paz.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa sociedade está adoecida, precisamos acordar para evitar mais tragédias.

      Um abraço. Tudo de bom.
      💙 Palavreando.

      Excluir
  3. Amigo Antônio, me emocionei com sua linda poesia e com essa bela homenagem. Concordo com você, temos que acordar, chega de tragédias, os brasileiros sofrem com perdas irreparáveis. Parabéns pela participação. Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já passou da hora de deixar o "berço esplêndido" e encarar de frente os problemas a serem resolvidos, sem mais faz de conta.

      Um abraço. Tudo de bom.
      💙 Palavreando.

      Excluir
  4. Olá, meu querido!

    Já li teu poema e julgo k entendi o que nos pretendes transmitir, mas quem é Suzano?

    Bisous.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Suzano é o nome da cidade onde aconteceu o massacre na escola "Raul Brasil". Um crime horrendo que não é costume por aqui. Só faltava isso, além dos outros tipos de violência que grassam por cá, nos surge essa barbárie terrorista. Triste, muito triste.

      https://www.youtube.com/watch?v=Sk_TbHv01FM
      Aquarela
      Toquinho

      Numa folha qualquer
      Eu desenho um sol amarelo
      E com cinco ou seis retas
      É fácil fazer um castelo
      Corro o lápis em torno da mão
      E me dou uma luva
      E se faço chover, com dois riscos
      Tenho um guarda-chuva
      Se um pinguinho de tinta
      Cai num pedacinho azul do papel
      Num instante imagino
      Uma linda gaivota a voar no céu
      Vai voando, contornando
      A imensa curva norte-sul
      Vou com ela viajando
      Havaí, Pequim ou Istambul
      Pinto um barco a vela
      Branco navegando
      É tanto céu e mar
      Num beijo azul
      Entre as nuvens vem surgindo
      Um lindo avião rosa e grená
      Tudo em volta colorindo
      Com suas luzes a piscar
      Basta imaginar e ele está partindo
      Sereno e lindo
      E se a gente quiser
      Ele vai pousar
      Numa folha qualquer
      Eu desenho um navio de partida
      Com alguns bons amigos
      Bebendo de bem com a vida
      De uma América a outra
      Consigo passar num segundo
      Giro um simples compasso
      E num círculo eu faço o mundo
      Um menino caminha
      E caminhando chega no muro
      E ali logo em frente a esperar
      Pela gente o futuro está
      E o futuro é uma astronave
      Que tentamos pilotar
      Não tem tempo nem piedade
      Nem tem hora de chegar
      Sem pedir licença
      Muda nossa vida
      E Depois convida
      A rir ou chorar
      Nessa estrada não nos cabe
      Conhecer ou ver o que virá
      O fim dela ninguém sabe
      Bem ao certo onde vai dar
      Vamos todos
      Numa linda passarela
      De uma aquarela que um dia enfim
      Descolorirá
      Numa folha qualquer
      Eu desenho um sol amarelo
      Que descolorirá
      E com cinco ou seis retas
      É fácil fazer um castelo
      Que descolorirá
      Giro um simples compasso
      E num círculo eu faço o mundo
      Que descolorirá

      https://www.youtube.com/watch?v=y-ZaQkPnf4k

      O Caderno
      Toquinho

      Sou eu que vou seguir você
      Do primeiro rabisco até o be-a-bá.
      Em todos os desenhos coloridos vou estar:
      A casa, a montanha, duas nuvens no céu
      E um sol a sorrir no papel.
      Sou eu que vou ser seu colega,
      Seus problemas ajudar a resolver.
      Te acompanhar nas provas bimestrais, você vai ver.
      Serei de você confidente fiel,
      Se seu pranto molhar meu papel.
      Sou eu que vou ser seu amigo,
      Vou lhe dar abrigo, se você quiser.
      Quando surgirem seus primeiros raios de mulher
      A vida se abrirá num feroz carrossel
      E você vai rasgar meu papel.
      O que está escrito em mim
      Comigo ficará guardado, se lhe dá prazer.
      A vida segue sempre em frente, o que se há de fazer.
      Só peço a você um favor, se puder:
      Não me esqueça num canto qualquer.
      Compositores: Antonio Pecci Filho / Lupicinio Morais Rodrigues

      Os cadernos ficaram esquecidos...

      Um abraço. Bom fim de semana.

      Excluir
    2. Mto obrigada pela tua explicação. Não fixei o nome da cidade, onde ocorreu o fatal crime.
      Acho k as redes sociais e a TV, influenciam, crianças, jovens, homens e poucas mulheres, felizmente, pke esses crimes sempre são praticados por gente do sexo masculino, eu já afirmei isso aqui, mas é pura verdade. Não sei o k se passa na cabeça desses homens, jovens e menos jovens, não sei.

      Creio k foi a 1ª vez que um crime desse género sucedeu no Brasil, não é assim? Nos EUA é mto frequente, mas a sociedade americana é bastante doentia. Os pastores não guardam bem o "gado" -rs.

      Conheço bem essas duas canções, sobretudo a Aquarela, que são um universo de doçura e de inocência. Gostei de ler as palavras, a personificação do "caderno". Mto lindo e carinhoso e até didático, também.

      Beijos e bom final de semana.

      Excluir
    3. Uma aberração, almas doentes e inumanas. Já aconteceram outros ataques, mas, nada de tamanha proporção. Nossa sociedade está muito doente.

      Pois é, as músicas retratam o que esperamos acontecer numa escola, jamais, tão infame barbárie.

      Um abraço e bom domingo.

      Excluir
  5. Respostas
    1. É a vida, que por vezes, escreve versos tristes em nossa inspiração.

      Um abraço. Tudo de bom.
      💙 Palavreando.

      Excluir
  6. Bom dia de Domingo, amigo Antonio!
    Muito lindo o despir-se das ilusões!
    Fiquei emocionada ao ler tamanhas verdades em forma de poema.
    Você aliou o atual na BC e realmente fez "a" diferença. Também é preciso poetar a realidade que nos massacra dia após dia.
    Tenha um início de semana cheio de notícias alvissareiras!
    Abraços fraternos de paz e bem
    😘🌷🙏

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A poesia é mensageira da vida, a arte versa o viver como ele é, como pode ser, como desejamos que seja... O lírico, também brada, protesta, critica... Não se aliena em si mesmo, nos devaneios... O poetizar a tudo abarca.

      Um abraço. Tudo de bom.
      💙 Palavreando.

      Excluir
  7. bastante comovida com o seu desnudar de alma e o despir-se das ilusões
    E este questionamento feito por você já tolhia e machucava o poeta mineiro e ainda hoje não temos respostas que possam salvar essas mentes dementes que barbarizam e matam tantos inocentes. Ficou emocionante o teu desfolhar poético, Antonio
    Um abraço e um domingo de paz

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pena, que seja triste a emoção que nos inspirou nesse poetizar. Que um dia, possamos só versar felicidade.

      Um abraço. Tudo de bom.
      💙 Palavreando.

      Excluir

  8. Bom dia!
    Hoje participei com três alunas, cada uma com seu estilo, espero que goste.

    Parabéns pela bela poesia! Um protesto muito sábio suas lindas palavras amigo! parabéns!

    https://bibliotecamadre.blogspot.com/2019/03/participando-da-73-edicao-do-poetizando.html
    Abraços, feliz semana.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que todas as escolas possam se expressar de forma bela como na participação de vocês, com preciosas reflexões. Muito bom!

      Um abraço. Tudo de bom.
      💙 Palavreando.

      Excluir
  9. Bravo mestre Antonio!
    A poesia tem o compromisso de contextualizar e belamente como o fez.
    Perde-se a ilusão, a fantasia, a vida escorre num corredor onde ante corria a alegria.
    Não havia porta que trancasse a alegria, nem a liberdade de sorrir e amar.
    Mas faltou porta para trancar do lado de fora a maldade, a dor, a violência.
    Belíssimo trabalho com o conterrâneo poeta mor.
    Uma semana de paz amigo e que possamos abrir portas da felicidade.
    Meu abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Que possamos abrir portas da felicidade", do amor, da paz, da coerência... Fazer da escola uma fonte de educação, cultura, arte, humanidade, vida...

      Um abraço. Tudo de bom.
      💙 Palavreando.

      Excluir
  10. Olá António!
    Que mundo é este, que sociedade é esta, já ninguém se condói. Verdade amigo É tristeza é desilusão é medo nas ruas... massacres verdades cruas. Lamento toda essa tragédia, toda essa incerteza do amanhã. Gostei poeticamente versando.
    Abraço de paz e luz e de um Brasil mais feliz.
    Luisa

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Humanidade desatinada, desumanizada, desendereçada de Deus. Um dia há de acordar para melhorar.

      Um abraço. Tudo de bom.
      💙 Palavreando.

      Excluir
  11. Antonio!
    Lindas rimas e palavras verdadeiras, não apenas pela ausência, mas pelo nosso Brasil.
    cheirinhos
    Rudy
    https://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com/2019/03/divulgacao-cultural-19-73-poetizando-e.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Triste Brasil que se vai desumanizando nessa sociopatia geral.

      Um abraço. Tudo de bom.
      💙 Palavreando.

      Excluir

Obrigado por sua visita. Aqui você pode deixar seu comentário. Esse espaço é feito para você. Volte sempre!

Antonio Pereira Apon.






Fale conosco:




Nosso conteúdo é de direito reservado. Sua reprodução pode ser permitida, desde que seja dado crédito ao autor original: Antonio Pereira Apon. E inclua o link para o site: WWW.aponarte.com.br
É expressamente proibido o uso comercial e qualquer alteração, sem nossa prévia autorização.
Plágio é crime previsto no artigo 184 do Código Penal.
- Lei n° 9.610-98 sobre os Direitos Autorais
.


Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Unported License.

Fale conosco.



Clique na imagem para ler um texto sorteado pelo sistema:
Textos para todos os dias. Curta a arte da vida!



Fique mais um pouquinho. Leia também...



Livros e vídeos:


Capa da segunda edição de : Essência.

>

Esse livro propõe uma incursão na alma humana, garimpando sentimentos e emoções, revelando-os em versos que retratam o homem moderno em sua incansável procura de si mesmo; seu contexto social, político e cultural em um mundo em transição.


Depois de 14 anos, atendendo a pedidos, estamos republicando Essência. Nessa segunda edição, incluímos o subtítulo: O livro do poema: A pedra. O distraído nela tropeçou... Numa referência ao nosso poema integrante dessa publicação, que, absurdamente, tem aparecido na internet com o nome de autores famosos: Fernando Pessoa, Renato Russo, Chaplin... Ou plagiadores. No endereço: (http://aponarte.com.br/apedra), o amigo leitor encontra todos os esclarecimentos, inclusive algumas das formas de como o plágio tem se apresentado.

Capa da segunda edição da : Coleção
                            Graziela.

>

Aqui, pais e professores encontram uma forma prazerosa e divertida, de abordar temas como: Cidadania, comportamento, respeito ao outro e à natureza... Em sete contos, compondo um jogo de arte e educação, onde lúdica e naturalmente aos pequeninos são apresentados conceitos de: Ecologia, solidariedade, diversidade, coletividade, tempo, responsabilidade, motivação, interatividade, participação...


Textos que parecem se renovar a cada dia, conservando impressionante atualidade e sintonia. Espero que gostem.

Capa de Um dedo de prosa e poesia. A arte da
                vida.

São 125 páginas com 89 títulos em verso e prosa de Literatura Nacional, num livro prefaciado pelo professor, escritor, poeta e trovador Orlando Carvalho. Crônicas, mensagens, poesias... amor, humor, reflexão, arte, cotidiano, atualidades, auto-ajuda, espiritualidade...


Topo