Som alto. Intelecto baixo - A arte da vida. Apon HP



Obrigado por sua visita. Boa leitura!




Para exibir/ocultar os posts mais recentes e mais opções do Site Clique aqui.

terça-feira, 18 de janeiro de 2011

 

                    Som alto. Intelecto baixo              

     

 

Não consigo entender, o que levaria alguém, em perfeita sanidade mental, a abrir o fundo de um carro com um potente equipamento de som instalado, e despejar seus poluidores decibéis nos ouvidos e nervos de toda uma vizinhança. Necessidade de aparecer? Falta de educação? Trauma de infância? Complexo de trio elétrico? Homossexualidade reprimida? Chifres encravados? Algum distúrbio sexual ou pura e trivial babaquice? ...? ... Acho que nem Freud explica!

 

O cretino não quer saber se tem idoso, bebê ou enfermo precisando dormir. Para ele, pouco importa se alguém chegou cansado do trabalho ou quer assistir tv, ler, estudar... Seu egocentrismo o faz se achar o último acarajé do tabuleiro, o dono da rua, o porretão. Só ele pode comprar um carro como aquele (Ainda que encalacrado com trocentas prestações). O volume do som parece ser inversamente proporcional ao intelecto do sujeito, quanto mais imbecil, mais alto o som. E o repertório é um capítulo à parte. Geralmente a coisa é tão ruim, que jegue relinchando aparenta ser obra de maior cerebração. É o subterrâneo do subterrâneo. A porcalhada é tanta que perto do que é tocado, Axé parece música erudita e MPB ganha ares de hino evangélico. Continuando assim, as cidades logo precisarão construir "redes de esgotamento sonoro".

 

A omissão, descaso e conivência  das autoridades, deixa a população à mercê desses parvos alcoolizados e suas Periguetes tribufus, protagonizando dantescos espetáculos de desrespeito, exibicionismo, mediocridade... ... ...

 

 Até quando?

 

Licença Creative Commons Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original: Antonio Pereira (Apon) (Além do nome do autor, cite o link para o site http://www.aponarte.com.br). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.

Leia mais no Apon HP: Mensagens, poesias, artigos, crônicas, humor...

   
 
 

2 comentários:

  1. É verdade meu amigo, e não podemos se quer nos queixar!... para quem mesmo devemos denunciar este abuso?!! Kkkk....Se for para o causador poderemos até morrer (mesmo sendo de ódio) para os orgãos competentes... que competência mesmo? não vejo, não escuto, nem soube de nenhum que agisse por dever...

    ResponderExcluir
  2. Pois é Josie, a quem recorrer? Só rindo para não chorar. Eta país de gente sem noção!!!

    Um abração.

    ResponderExcluir

Obrigado por sua visita. Aqui você pode deixar seu comentário. Esse espaço é feito para você. Volte sempre!

Antonio Pereira Apon.

Fale conosco:






Nosso conteúdo é de direito reservado. Sua reprodução pode ser permitida, desde que seja dado crédito ao autor original: Antonio Pereira Apon. E inclua o link para o site: WWW.aponarte.com.br
É expressamente proibido o uso comercial e qualquer alteração, sem nossa prévia autorização.
Plágio é crime previsto no artigo 184 do Código Penal.
- Lei n° 9.610-98 sobre os Direitos Autorais
.


Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Unported License.

Fale conosco.



Clique na imagem para ler um texto sorteado pelo sistema:
Textos para todos os dias. Curta a arte da vida!




Fique mais um pouquinho. Leia também...



Livros e vídeos:


Capa da segunda edição de : Essência.

>

Esse livro propõe uma incursão na alma humana, garimpando sentimentos e emoções, revelando-os em versos que retratam o homem moderno em sua incansável procura de si mesmo; seu contexto social, político e cultural em um mundo em transição.


Depois de 14 anos, atendendo a pedidos, estamos republicando Essência. Nessa segunda edição, incluímos o subtítulo: O livro do poema: A pedra. O distraído nela tropeçou... Numa referência ao nosso poema integrante dessa publicação, que, absurdamente, tem aparecido na internet com o nome de autores famosos: Fernando Pessoa, Renato Russo, Chaplin... Ou plagiadores. No endereço: (http://aponarte.com.br/apedra), o amigo leitor encontra todos os esclarecimentos, inclusive algumas das formas de como o plágio tem se apresentado.

Capa da segunda edição da : Coleção
                            Graziela.

>

Aqui, pais e professores encontram uma forma prazerosa e divertida, de abordar temas como: Cidadania, comportamento, respeito ao outro e à natureza... Em sete contos, compondo um jogo de arte e educação, onde lúdica e naturalmente aos pequeninos são apresentados conceitos de: Ecologia, solidariedade, diversidade, coletividade, tempo, responsabilidade, motivação, interatividade, participação...


Textos que parecem se renovar a cada dia, conservando impressionante atualidade e sintonia. Espero que gostem.

Capa de Um dedo de prosa e poesia. A arte da
                vida.

São 125 páginas com 89 títulos em verso e prosa de Literatura Nacional, num livro prefaciado pelo professor, escritor, poeta e trovador Orlando Carvalho. Crônicas, mensagens, poesias... amor, humor, reflexão, arte, cotidiano, atualidades, auto-ajuda, espiritualidade...