Educação é a senha - A arte da vida. Apon HP


Obrigado por sua visita. Boa leitura!



Clique para exibir/ocultar os posts mais recentes e mais opções do Site.

quarta-feira, 11 de março de 2015

 

                    Educação é a senha              

     

... Gerações em desaninho, órfãos do educar. A Pátria em descaminho, Precisa o futuro resgatar. Retomar o rumo certo, Menos "jeitinho" e mais competência. Banir o "ser esperto", Tornar esperta a eficiência...


Antonio Pereira Apon.


Caravela navegando sobre um livro.


Já virou má brincadeira,

O deseducar nacional.

Vai descendo a ribanceira.

É emburrecimento geral.


“Professor” que pouco ensina,

Aluno que pouco aprende.

Vai cumprindo triste sina,

A escola que não se compreende.


É doutorado que não faz doutor,

Mestrado que não faz mestre.

Por Jesus, Nosso Senhor!

Vai dar algo que preste?


Diploma em promoção,

No mercado do saber.

Dane-se a educação,

Viva o emburrecer!


A quem serve tal mutreta?

Tanta mediocridade?

Triste e dissonante retreta,

Muito "canudo", pouca qualidade.


Nessa conspiração mefista,

Virei até repentista,

Cordelista,

trovador.


Onde a ignorância abunda,

Não há remédio salvador:

A menina vai mexer a bunda,

E o menino tentar ser jogador.


Se a celebridade não fizer-se solícita,

Nem a ter no pagode conseguido:

Resta entrar pra política,

Ou aprender a ser outro bandido.


Educação é bem sem preço,

Direito, incluso na Constituição.

Mas governante não tem apreço,

Pelo saber do cidadão.


Um país bem mal letrado,

Vive sempre na rabeira.

Eternamente tutelado,

Por quem tem educação de primeira.


Jaz a educação,

Na terra da bandalheira.

Solução tá na eleição,

Não faça na urna asneira.


Não vote nos salteadores,

Que saqueiam a nação.

Eles perpetuam dores

E deixam o povo na mão.


Precisamos de escolas de verdade,

Educação sem aleivosia.

Governos sem falsidade,

Pra nos libertar dessa agonia.


Gerações em desaninho,

órfãos do educar.

A Pátria em descaminho,

Precisa o futuro resgatar.


Retomar o rumo certo,

Menos "jeitinho" e mais competência.

Banir o "ser esperto"

Tornar esperta a eficiência.


Salvar o ensino brasileiro,

Esse o grande projeto.

O resto, é blá blá blá de embusteiro,

De político abjeto.


Educar é a grande senha,

Para acessar o progresso.

Sem que isso se tenha,

Continuará a ilusão e o retrocesso.


Terminando esses versos modestos,

Vou de Castro Alves em paráfrase:


"Oh! Bendito o que semeia

educação, educação a mancheias

E manda o povo pensar.

A educação caindo n'alma

É gérmen que faz a palma

É chuva que faz o mar".



(Postado aqui em 09 DE MAIO DE 2009).


Leia mais:
O professor e o ensineiro
Trovas de uma greve de professor
Professor de ponta
Desempregando o plural. Os livro e os peixe
Educação pra que? criar cobra pra me morder?
Escola e alforria
Educação. Viva o professor!



   
 
 

2 comentários:

  1. Adoreiiii, pra mim senti seus versos, como um maravilhoso e super bem escrito cordel, escrito a um bom tempo, mas infelizmente ainda tão atual.
    Bom feriado amigo, beijos,
    Valéria

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Valéria.

      Um abração e bom feriadão para ti também.

      Excluir

Obrigado por sua visita. Aqui você pode deixar seu comentário. Esse espaço é feito para você. Volte sempre!

Antonio Pereira Apon.



Nosso conteúdo é de direito reservado. Sua reprodução pode ser permitida, desde que seja dado crédito ao autor original: Antonio Pereira Apon. E inclua o link para o site: WWW.aponarte.com.br
É expressamente proibido o uso comercial e qualquer alteração, sem nossa prévia autorização.
Plágio é crime previsto no artigo 184 do Código Penal.
- Lei n° 9.610-98 sobre os Direitos Autorais
.


Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Unported License.

Fale conosco.



Clique na imagem para ler um texto sorteado pelo sistema:
Textos para todos os dias. Curta a arte da vida!




Fique mais um pouquinho. Leia também...



Livros e vídeos:


Capa da segunda edição de : Essência.

>

Esse livro propõe uma incursão na alma humana, garimpando sentimentos e emoções, revelando-os em versos que retratam o homem moderno em sua incansável procura de si mesmo; seu contexto social, político e cultural em um mundo em transição.


Depois de 14 anos, atendendo a pedidos, estamos republicando Essência. Nessa segunda edição, incluímos o subtítulo: O livro do poema: A pedra. O distraído nela tropeçou... Numa referência ao nosso poema integrante dessa publicação, que, absurdamente, tem aparecido na internet com o nome de autores famosos: Fernando Pessoa, Renato Russo, Chaplin... Ou plagiadores. No endereço: (http://aponarte.com.br/apedra), o amigo leitor encontra todos os esclarecimentos, inclusive algumas das formas de como o plágio tem se apresentado.

Capa da segunda edição da : Coleção
                            Graziela.

>

Aqui, pais e professores encontram uma forma prazerosa e divertida, de abordar temas como: Cidadania, comportamento, respeito ao outro e à natureza... Em sete contos, compondo um jogo de arte e educação, onde lúdica e naturalmente aos pequeninos são apresentados conceitos de: Ecologia, solidariedade, diversidade, coletividade, tempo, responsabilidade, motivação, interatividade, participação...


Textos que parecem se renovar a cada dia, conservando impressionante atualidade e sintonia. Espero que gostem.

Capa de Um dedo de prosa e poesia. A arte da
                vida.

São 125 páginas com 89 títulos em verso e prosa de Literatura Nacional, num livro prefaciado pelo professor, escritor, poeta e trovador Orlando Carvalho. Crônicas, mensagens, poesias... amor, humor, reflexão, arte, cotidiano, atualidades, auto-ajuda, espiritualidade...