Agosto a gosto



É>Um mês como qualquer outro. Com seus bônus e seus ônus, com aquilo que a gente faz. Nem melhor, nem pior. Somente agosto.

Antonio Pereira Apon.


Quebra-cabeça.

Nem bom, nem mau,

igual ou desigual;

apenas agosto.

Nada de azar ou sorte,

fraco, nem forte;

simplesmente agosto.

Hiroshima explodida no Japão,

não foi de agosto o dolo;

mas do poder, insano e tolo.

Agosto é prelúdio de setembro,

assim como dezembro;

prenuncia o janeiro de um ano novo.

Preâmbulo da primavera

ao sul de nossa quase esfera;

crepúsculo do inverno abaixo do equador.

Mês que homenageia o Estudante,

jovem agosto infante,

rascunho do amanhã.

Aos pais o mês faz reverência,

parceiros da maternal incumbência;

semear e cuidar de um melhor porvir.

Agosto celebra o folclore,

ode a cultura popular;

saber que a nós colore,

dito, mito, cantar...

Há quem o diga “mês do cachorro louco”,

do “desgosto”;

Nem tanto, nem tão pouco:

Augusto agosto.

Homenageia o Blog e o Blogueiro,

o Capoeirista e o WWW interneteiro;

plugado, conectado agosto.

Comemora a informática e a arte,

superstições deixadas à parte;

cabe-nos fazer agosto a gosto.

Com seus ônus,

com seus bônus;

agosto.


Subscreva aos destaques RSS de:
Powered by FeedBurner

Subscreva aos destaques RSS de:
Powered by FeedBurner

Comentários

  1. Oi, Apon, muito criativo sem poema ao mês de agosto! Na verdade é um mês como qualquer outro...como a vida que segue sem prestar atenção à que mês estamos. Um abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso mesmo. Afinal, é a vida que faz o calendário e não o calendário que faz a vida. O tempo passa, independente do dia, mês ou ano. O bem ou mal está no bom ou mau uso que fazemos da dádiva do tempo e da vida.

      Um abração Bia.

      Excluir
    2. Aponart, amei o poema sobre agosto, tendo como fundo uma musiquinha de roda. Nos remete aos tempos da infância. Belo poema. Parabéns!

      Excluir
    3. Aponart, amei o poema sobre agosto, tendo como fundo uma musiquinha de roda. Nos remete aos tempos da infância. Belo poema. Parabéns!

      Excluir
    4. É a ciranda do tempo, a roda da vida nos convidando a deixar de bobagem e fazer diferente, fazer nosso melhor, seja agosto ou outro mês qualquer.

      Obrigado pela visita e comentário. Volte sempre!

      Um abração e uma boa semana.

      Excluir
  2. Bom dia,Antonio! Precisamos acabar com a ideia de que agosto é o mes do desgosto!Uma linda poesia!bjs e bom domingo,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é. Desgosto é a ignorante superstição, o estigma do desconhecimento. Agosto, como todos os outros meses, é página de tempo e de vida onde podemos e devemos escrever o nosso melhor.

      Um abração Anne. Bom domingo para ti também. Tenha uma bela semana.

      Excluir
  3. Seu poema, belo e significativo, me fez voltar às origens cantarolando "Se essa rua fosse minha..." Da minha infância alegre, feliz e 'arteira' como toda criança que pode brincar com amigos da sua rua, da sua escola, na rua e em grandes quintais... Privilégio de ontem! Hoje, não mais, infelizmente!
    Abraço, Célia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Infelizmente, independente de ser agosto ou outro mês, o mau uso da vida e do tempo tem nos trancafiado em nós mesmos, em nossas portas e janelas gradeadas, atrás de tantos muros...

      Um abração Célia.

      Excluir
  4. Oi Antonio,

    Bacana você lembrar os "ditos benditos e malditos" que cercam o mês de agosto. Lembro quando era criança, minha mãe explicava como identificar um "cachorro louco".
    Nem pensar, passar por perto de cachorro desconhecido!
    Crendices e verdades que fazem o nosso dia a dia!
    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O verdadeiro bem e o mal real, estão em nós, independe do calendário. A vida é aquilo que escrevemos e fazemos dela.

      Um abração Jossara.

      Excluir
  5. Oi, querido Antônio!

    Tudo bem?

    Esquecer você e seu blog é impossível. Já sabia que tinha postado, mas o tempo é meu "inimigo".

    Pois, Agosto tem um montão de coisas boas, sobretudo, porque antecede a almejada Primavera, o renascimento da vida.

    Tantas comemorações nesse mês! Não pensava que fossem tantas. Aqui, se comemora, apenas, o dia 15, dia de Santa Maria, que é feriado.

    Poema bem estruturado, muito bem pensado, enfim Agosto a seu gosto.

    Linda 3ª feira e restante semana.

    Um abração da Luz, com estima.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O tempo é um corcel indomável que apressa a vida. Vamos vivendo e sobrevivendo em meio a tantos impositivos desses nossos corridos tempos. Agosto, como os outros meses, tem boas e más lembranças, relevantes e efêmeras comemorações. O melhor e o pior, o fazer e o não fazer, depende de nós, não é uma questão de calendário, mas um caso de atitude. Ou não.

      Obrigado pela lembrança e amizade.

      Um abração e uma bela semana.

      Excluir
  6. António,

    Ando tão cansada que acho que, hoje, é 3ª feira. Nossa! Me desculpe. Boa segunda feira, com gosto.

    Abração da Luz, pra você.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso é que é estar literalmente com o tempo corrido. Rs rs rs...

      Um abração. Boa segunda e restante de semana.

      Excluir

Postar um comentário

Obrigado por ler e comentar nosso texto. Esse espaço é feito para você. Volte sempre!

Antonio Pereira Apon.

+ lidas nesses 30 dias

Apedra. Poema de Antonio Pereira (Apon). O distraído nela tropeçou...

A gente (Paródia de: A casa - Vinicius de Moraes)

Precisa de tinta para escanear?

Felicidade e as estações da vida

Os pais e a "baleia azul"

Ganhadores. O que faz a diferença