Agosto a gosto - A arte da vida. Apon HP



Obrigado por sua visita. Boa leitura!




Para exibir/ocultar os posts mais recentes e mais opções do Site Clique aqui.

quarta-feira, 25 de julho de 2018

 

                    Agosto a gosto              

     

Um mês como qualquer outro. Com seus bônus e seus ônus, com aquilo que a gente faz. Nem melhor, nem pior. Somente agosto.


Antonio Pereira Apon.


Quebra-cabeça.


Nem bom, nem mau,

igual ou desigual;

apenas agosto.

Nada de azar ou sorte,

fraco, nem forte;

simplesmente agosto.

Hiroshima explodida no Japão,

não foi de agosto o dolo;

mas do poder, insano e tolo.

Agosto é prelúdio de setembro,

assim como dezembro;

prenuncia o janeiro de um ano novo.

Preâmbulo da primavera

ao sul de nossa quase esfera;

crepúsculo do inverno abaixo do equador.

Mês que homenageia o Estudante,

jovem agosto infante,

rascunho do amanhã.

Aos pais o mês faz reverência,

parceiros da maternal incumbência;

semear e cuidar de um melhor porvir.

Agosto celebra o folclore,

ode a cultura popular;

saber que a nós colore,

dito, mito, cantar...

Há quem o diga “mês do cachorro louco”,

do “desgosto”;

Nem tanto, nem tão pouco:

Augusto agosto.

Homenageia o Blog e o Blogueiro,

o Capoeirista e o WWW interneteiro;

plugado, conectado agosto.

Comemora a informática e a arte,

superstições deixadas à parte;

cabe-nos fazer agosto a gosto.

Com seus ônus,

com seus bônus;

agosto.



Postado aqui em 04 de agosto de 2013.



   
 
 

25 comentários:

  1. Oi, Apon, muito criativo sem poema ao mês de agosto! Na verdade é um mês como qualquer outro...como a vida que segue sem prestar atenção à que mês estamos. Um abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso mesmo. Afinal, é a vida que faz o calendário e não o calendário que faz a vida. O tempo passa, independente do dia, mês ou ano. O bem ou mal está no bom ou mau uso que fazemos da dádiva do tempo e da vida.

      Um abração Bia.

      Excluir
    2. Aponart, amei o poema sobre agosto, tendo como fundo uma musiquinha de roda. Nos remete aos tempos da infância. Belo poema. Parabéns!

      Excluir
    3. Aponart, amei o poema sobre agosto, tendo como fundo uma musiquinha de roda. Nos remete aos tempos da infância. Belo poema. Parabéns!

      Excluir
    4. É a ciranda do tempo, a roda da vida nos convidando a deixar de bobagem e fazer diferente, fazer nosso melhor, seja agosto ou outro mês qualquer.

      Obrigado pela visita e comentário. Volte sempre!

      Um abração e uma boa semana.

      Excluir
  2. Bom dia,Antonio! Precisamos acabar com a ideia de que agosto é o mes do desgosto!Uma linda poesia!bjs e bom domingo,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é. Desgosto é a ignorante superstição, o estigma do desconhecimento. Agosto, como todos os outros meses, é página de tempo e de vida onde podemos e devemos escrever o nosso melhor.

      Um abração Anne. Bom domingo para ti também. Tenha uma bela semana.

      Excluir
  3. Seu poema, belo e significativo, me fez voltar às origens cantarolando "Se essa rua fosse minha..." Da minha infância alegre, feliz e 'arteira' como toda criança que pode brincar com amigos da sua rua, da sua escola, na rua e em grandes quintais... Privilégio de ontem! Hoje, não mais, infelizmente!
    Abraço, Célia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Infelizmente, independente de ser agosto ou outro mês, o mau uso da vida e do tempo tem nos trancafiado em nós mesmos, em nossas portas e janelas gradeadas, atrás de tantos muros...

      Um abração Célia.

      Excluir
  4. Oi Antonio,

    Bacana você lembrar os "ditos benditos e malditos" que cercam o mês de agosto. Lembro quando era criança, minha mãe explicava como identificar um "cachorro louco".
    Nem pensar, passar por perto de cachorro desconhecido!
    Crendices e verdades que fazem o nosso dia a dia!
    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O verdadeiro bem e o mal real, estão em nós, independe do calendário. A vida é aquilo que escrevemos e fazemos dela.

      Um abração Jossara.

      Excluir
  5. Oi, querido Antônio!

    Tudo bem?

    Esquecer você e seu blog é impossível. Já sabia que tinha postado, mas o tempo é meu "inimigo".

    Pois, Agosto tem um montão de coisas boas, sobretudo, porque antecede a almejada Primavera, o renascimento da vida.

    Tantas comemorações nesse mês! Não pensava que fossem tantas. Aqui, se comemora, apenas, o dia 15, dia de Santa Maria, que é feriado.

    Poema bem estruturado, muito bem pensado, enfim Agosto a seu gosto.

    Linda 3ª feira e restante semana.

    Um abração da Luz, com estima.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O tempo é um corcel indomável que apressa a vida. Vamos vivendo e sobrevivendo em meio a tantos impositivos desses nossos corridos tempos. Agosto, como os outros meses, tem boas e más lembranças, relevantes e efêmeras comemorações. O melhor e o pior, o fazer e o não fazer, depende de nós, não é uma questão de calendário, mas um caso de atitude. Ou não.

      Obrigado pela lembrança e amizade.

      Um abração e uma bela semana.

      Excluir
  6. António,

    Ando tão cansada que acho que, hoje, é 3ª feira. Nossa! Me desculpe. Boa segunda feira, com gosto.

    Abração da Luz, pra você.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso é que é estar literalmente com o tempo corrido. Rs rs rs...

      Um abração. Boa segunda e restante de semana.

      Excluir
  7. Mês lindo, antecede a primavera, já estou entrando no clima primaveril!
    Amo todos os meses, todos os climas, todas as fases da vida, eis uma boa forma de leveza, adoro ser leve, de corpo e alma,rsrs!
    Amigo Antonio, não há nada de mau agouro, nossa mente é a quem cria, sendo assim...
    Amei seu belo poema, bem colocados os versos!
    Abraços apertados e bom mês de agosto para todos nós!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Agosto como qualquer outro mês ou outra coisa, será aquilo que fizermos. A diferença está no uso ou abuso do ser humano. Portanto, viva agosto!

      Um abraço.

      Excluir
  8. Para nós vai iniciar com uma onde de muito calor, mesmo raro em Portugal :))

    Bjos
    Votos de uma boa noite.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com calor ou frio, que venha trazendo dias melhores.

      Um abraço.

      Excluir
  9. Respostas
    1. Já é! A gosto de Deus e de todos nós. Tenha um mês com tudo de bom!

      Um abraço.

      Excluir
  10. Ah, esse post, tb, comentei.

    Agosto e os outros meses têm acontecimentos bons e ruins.
    É a mente humana que rotula essas coisas.

    beijinho, beijinho.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Agosto segue a gosto do que fazemos dele, como dizes, os rótulos são arranjos humanos para os desarranjos que a humanidade desatina a fazer em qualquer mês.

      Um abraço a gosto.

      Excluir
  11. Olá meu querido amigo Apon!
    Bela reflexão sobre o mês de agosto. Me fez relembrar os tempos que fui sua vice com muita honra no Duque de Caxias. Mês festivo comemorando o patrono do eterno colegio referência para o bairro da Liberdade como muita arte, dança, música, poesia e esportes.
    Beijos, saudades.
    Rita Beanes

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Agosto, como todos os meses, nós o fazemos e é bom lembrar os agostos que fizemos no Duque. Bons tempos!

      Valeu chefa! Recíprocas saudades. Adorei seu comentário por aqui.

      Um abração.

      Excluir

Obrigado por sua visita. Aqui você pode deixar seu comentário. Esse espaço é feito para você. Volte sempre!

Antonio Pereira Apon.

Fale conosco:






Nosso conteúdo é de direito reservado. Sua reprodução pode ser permitida, desde que seja dado crédito ao autor original: Antonio Pereira Apon. E inclua o link para o site: WWW.aponarte.com.br
É expressamente proibido o uso comercial e qualquer alteração, sem nossa prévia autorização.
Plágio é crime previsto no artigo 184 do Código Penal.
- Lei n° 9.610-98 sobre os Direitos Autorais
.


Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Unported License.

Fale conosco.



Clique na imagem para ler um texto sorteado pelo sistema:
Textos para todos os dias. Curta a arte da vida!




Fique mais um pouquinho. Leia também...



Livros e vídeos:


Capa da segunda edição de : Essência.

>

Esse livro propõe uma incursão na alma humana, garimpando sentimentos e emoções, revelando-os em versos que retratam o homem moderno em sua incansável procura de si mesmo; seu contexto social, político e cultural em um mundo em transição.


Depois de 14 anos, atendendo a pedidos, estamos republicando Essência. Nessa segunda edição, incluímos o subtítulo: O livro do poema: A pedra. O distraído nela tropeçou... Numa referência ao nosso poema integrante dessa publicação, que, absurdamente, tem aparecido na internet com o nome de autores famosos: Fernando Pessoa, Renato Russo, Chaplin... Ou plagiadores. No endereço: (http://aponarte.com.br/apedra), o amigo leitor encontra todos os esclarecimentos, inclusive algumas das formas de como o plágio tem se apresentado.

Capa da segunda edição da : Coleção
                            Graziela.

>

Aqui, pais e professores encontram uma forma prazerosa e divertida, de abordar temas como: Cidadania, comportamento, respeito ao outro e à natureza... Em sete contos, compondo um jogo de arte e educação, onde lúdica e naturalmente aos pequeninos são apresentados conceitos de: Ecologia, solidariedade, diversidade, coletividade, tempo, responsabilidade, motivação, interatividade, participação...


Textos que parecem se renovar a cada dia, conservando impressionante atualidade e sintonia. Espero que gostem.

Capa de Um dedo de prosa e poesia. A arte da
                vida.

São 125 páginas com 89 títulos em verso e prosa de Literatura Nacional, num livro prefaciado pelo professor, escritor, poeta e trovador Orlando Carvalho. Crônicas, mensagens, poesias... amor, humor, reflexão, arte, cotidiano, atualidades, auto-ajuda, espiritualidade...